top of page

OPOSIÇÃO PROTOCOLOU PEDIDO DE IMPEACHMENT DE LULA POR FALA SOBRE ISRAEL

A oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) protocolou um pedido de impeachment contra o chefe do Executivo após comparações entre a atuação de Israel em Gaza e o Holocausto. Segundo a equipe da deputada federal Carla Zambelli (PL) que reuniu as assinaturas para o pedido, o documento foi oficialmente enviado à Câmara na quarta-feira (21).

Imagem: Divulgação Presidência da República

Mais da metade das assinaturas veio do PL, Partido Liberal, sigla do ex-presidente Jair Bolsonaro. Seu filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL) assinou o pedido, assim como os ex-ministros Ricardo Salles, do Meio Ambiente, e Eduardo Pazuello, da Saúde, que atuaram na gestão de Bolsonaro. Além da oposição, a lista foi marcada por políticos vindos de partidos da base governista, que ocupam ministérios no governo, como o União Brasil (que está nos ministérios da Comunicação e Turismo), o PSD (nos ministérios da Agricultura, Minas e Energia e Pesca) e MDB (que está no ministério de Cidades, Planejamento e Transportes).

Para os parlamentares que assinaram o pedido, a fala de Lula se enquadraria em crime de responsabilidade contra a existência política da União por “cometer ato de hostilidade contra a nação estrangeira, expondo a República ao perigo da guerra, ou comprometendo a neutralidade”. Apesar do alto número de assinaturas em pouco tempo, a decisão de aceitar ou não o pedido depende exclusivamente do presidente da Câmara dos Deputados - no caso, Arthur Lira (do PP).

O governo do ex-presidente Jair Bolsonaro foi alvo de mais de 60 pedidos de impeachment, mas nenhum deles, foi aceito pelo presidente da Câmara dos Deputados. Segundo Moreira, a tendência é que este pedido de Lula também não seja aceito. O impeachment em si é analisado pelo Senado e é preciso ter o apoio de pelo menos 54 senadores para acontecer.


Fonte: CNN Brasil 

Adaptação: Gabriela Rodrigues

Comments


bottom of page