top of page

CAPITAL PAULISTA - VEREADOR CAMILO CRISTÓFARO FOI CASSADO

A Câmara Municipal de São Paulo em sessão plenária decidiu na ultima terça-feira, (19), que o vereador Camilo Cristófaro (AVANTE) fosse cassado por discursos racistas, foram registrados 47 posicionamentos a favor da perda do cargo, nenhum contrário e cinco abstenções.

O vereador respondia processo desde maio do ano passado, quando em uma reunião da CPI (Comissão Parlamentar de inquérito) dos Aplicativos, Cristófaro, que participava das discussões de maneira remota, deixou vazar um áudio: “Eles arrumaram e não lavaram a calçada. É coisa de preto, né?”. Após esta declaração, representações foram elaboradas pedindo a punição ao vereador.

A Corregedoria aceitou os pedidos e começou a apurar e a analisar o caso, um ano após, em maio de 2023, o plenário aprovou a admissibilidade do caso e o processo avançou nos trâmites da Câmara Municipal, conforme o regimento interno, a denunciante, vereadora Luana Alves (PSOL), e o acusado, Camilo Cristófaro, não tiveram direito a voto.

Imagem: Afonso Braga

O relatório foi votado nominalmente pelos vereadores e seguiu a ordem alfabética, a votação exigiu quórum com maioria absoluta, sendo assim, para a cassação era necessários 37 votos favoráveis dos 55 votos possíveis. Trata-se do primeiro caso de cassação por ato racista na Câmara de Vereadores de São Paulo, após 24 anos, um terceiro vereador foi cassado na história do poder legislativo da capital paulista.

Os outros dois casos aconteceram em 1999, quando o ex-vereador Vicente Viscome e a ex-vereadora Maeli Vergniano foram cassados por envolvimento na Máfia dos Fiscais, que cobrava na época propina de comerciantes e ambulantes da cidade, Camilo Cristófaro, de 62 anos, estava no seu segundo mandato na Câmara de Vereadores paulistana, ele foi eleito pela primeira vez em 2016, e reeleito em 2020.


Matéria: Talles Honorato


Comments


bottom of page